sábado, 30 de junho de 2012

Nada realista


Olhava por horas a parede branca em frente à cama.
O flash de hoje era o encontro de horas atrás.
Luzinhas imaginárias e faróis com suas luzes ofuscantes.
Nem lembrava mais do que era.
Só pensava na manhã de hoje.
Como se tudo fosse apagado como a borracha faz com os traçados a lápis sobre o papel.
Não sabia se era por conta da luz do sol ou por conta da estrada de terra.
Por um instante pensou que podia ser sempre manhã, sempre dia de sol, sempre vento no rosto.
Depois caiu na real: Todo dia de sol merece ter a noite para ser completo.
Texto: Wandréa marcinoni
Imagem: Arquivo pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário