segunda-feira, 15 de julho de 2013

Das coisas que eu sei

E agora já é meia noite.
E agora já esqueci os meus planos.
E agora que falei sem pensar.
Cato os cacos e arrumo na prateleira branca da sala de estar?
E os fios soltos por fora do painel?
Quem achará a solução?
E ao atender o telefone e misturar as mensagens SMS com palavras ao vento?
E se alguém enxergasse dentro de mim?
Iria perceber toda confusão?
Da felicidade ao impacto e impotência.
Alguém percebe?
Alguém vê que não suporto mais?
Alguém vê as algemas invisíveis com luz neon?
Alguém olha além do umbigo do centro de si?
Alguém me dá a mão?
Senão ele, quem o faz?
As migalhas caem e já não estou disposta à juntá-las e digerí-las.
Não posso mais.
Desisto e essa não é minha glória.
Essa de fato, não é.
Texto: Wandréa Marcinoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário