sábado, 6 de outubro de 2012

Classificação

3 formas diferentes de classificar as nuvens
Como:
1. Um bom motivo pra olhar mais vezes para o céu
2. Um ótimo lugar pra se colocar a cabeça
3. O melhor jeito de lembrar que todas as tempestades desmancham

Texto: Silvana Tavano
Imagem: Franco Matticchio

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Sem luz


Ontem ela subiu degrau por degrau da casa velha.
Olhava pra cima pensando que não ia chegar.
A luz havia faltado e sobrou pra ela as escadas escuras iluminadas aqui e ali pelas luzes de emergência.
Parou no terceiro andar.
O telefone tocou.
Ela não atendeu.
Precisava pensar antes.
O que ia dizer depois de tanto tempo?
Tirou os sapatos e pé ante pé continuou a subir.
O corredor tingido de laranja.
Sua alma tingida também.
O que foi ontem.
Quando falou em frente ao prédio com vitrais, ela realmente não sabia o que dizer.
Havia uma empolgação abrandada.
Não foi como antes.
Nada foi como antes.
Agora é só ela.
Ela e sua eterna mania dos passos tortos.
Texto: Wandréa Marcinoni


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Retalhos e amiantos


Se pôs a costurar na velha máquina.
Vela acesa.
Escuro na alma.
A alma.
Durante muito tempo família.
Hoje com mãos doloridas.
Hoje de fala mansa e andar desapegado.
Hoje o reflexo do passado.
Não conta mais histórias, mas continua a acariciar os cabelos dos seus quatro filhos.
Ela agora.
Tentando postar mensagens. Replica. Contenta. Exige e esquece.
A vida é dela.
Dela são os desejos.
Ela que sentada um dia conosco teve a alma quieta.
Não é do seu feitio.
Ela não vai.
Nós é que a guardamos.
Na redoma.
A redoma.
A redoma.
O elo.
É ela.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Jeremy Geddes