segunda-feira, 9 de julho de 2012

Finitude e destino


Quando acho que já não sei, me vejo autêntica.
Seguidora fiel do caminho que eu não tracei.
Ativa pacifista de causas incorretas.
Fatigada pelo destino imposto por mim mesma.
Sem novidades.
Sem reticências.
Sem coerência.
Sem finitude.
Apenas o vago, doloroso, insensível, incompreeensível destino.
Ele que disse aonde eu ia e determinou 20 passos até porta.
Em minha aceitação faltou apenas um pequeno porém, mas esse enfim é melhor esquecer.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Arquivo pessoal

2 comentários:

  1. U-A-U
    Amiga... cada dia mais perfeitos...
    Deve ser o destino!!!
    Espero que não a finitude!!!

    ResponderExcluir
  2. Teus comentários estão cada dia mais fofos. Eu, Bitelim e Pedroca estamos com saudades.

    ResponderExcluir