quinta-feira, 17 de maio de 2012

Na poeira


Na poeira, no pó, no vento, na estrada. O tempo que caminho não é o mesmo tempo do meu pensamento. Ele é viajante, não se assenta em qualquer lugar. Ele é rebelde, a obediência não é sua sina. O fato de me perder com ele de tempos em tempos já tomou ares de rotina. Meus pés nunca se firmaram no chão e sempre vivi naquele mundo paralelo no qual as imagens são borradas e as lembranças têm perfume. Devo concordar portanto que mantenho-me imutável apesar das inúmeras lições da vida.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Arquivo pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário