domingo, 13 de maio de 2012

Do amor


“Pois de amor andamos todos precisados, em dose tal que nos alegre, nos reumanize, nos corrija, nos dê paciência e esperança, força, capacidade de entender, perdoar, ir para a frente. Amor que seja navio, casa, coisa cintilante, que nos vacine contra o feio, o errado, o triste, o mau, o absurdo e o mais que estamos vivendo ou presenciando.”

Texto: Carlos Drummond de Andrade
Imagem: Arquivo pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário