quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Menino


Hoje a gente se viu de novo. Você sorriu e eu sorri também. Nossos encontros são sempre assim. Muitos sorrisos e poucas palavras. Você me perguntou sobre a mudança, eu te falei que está perto. Dentre as poucas coisas que tenho convicção, esta é uma delas. Você falou que me acha mais feliz. Eu certamente estou. Não quis te falar dos detalhes, pois é como você já sabe: é o recomeço, é juntar os cacos, é saber que eles não se colam, mas é ter a certeza de que por mim está tudo certo. Não me falta o chão, não me faltam os cobertores, não me falta um lugar para descansar e para criar o amor. Farei um espaço todo em branco porque gosto da claridade. Você faz parte disso. Quando tu me perguntas por que não, eu te respondo com o mesmo sorriso de sempre, pois sabes que com as palavras tenho um lidar difícil, com o sentimento uma conversa silenciosa e com os sonhos a intenção não tanto plausível. Perguntas se ainda sou capaz de sonhar e desejar e fazer planos. Te respondo que é melhor viver um dia de cada vez. Ainda não sei se quero. Veja bem, não é que eu não sinta, sou intensa a todo momento, mas é que de uns tempos pra cá me dei a liberdade de programar, de decidir, de trabalhar a delicadeza, de agir devagar. Então, faça como eu te disse. Me dê seu sorriso e eu te dou o meu. Me diga coisas doces e eu também te digo, se afaste e não me procure, assim mantemos o campo seguro, assim vivemos a vida que temos pra viver. O teu sorriso e o meu se encontram quando quisermos e é bom te sentir assim tão perto e cuidadoso, mas você sabe que não há motivo pra ficarmos juntos, não há motivo ainda, mas te confesso que tua vinda e nosso pouco tempo me alegram e assim vamos ficando até quem sabe quando quisermos.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Jeremy Geddes

Nenhum comentário:

Postar um comentário