domingo, 26 de junho de 2011

O deus grego e sua fama de bom moço


Ela havia plugado há pouco tempo, era noite e houve o que vamos chamar de intervalo entre o antes e o depois.. Ele não era do tipo afetado e tinha o tempo certo para as palavras. Falou-se do bom e do ruim...do fim do amor...da filosofia e da ausência dela...do amor e do não amor.Tinha ares de professor e a bem da verdade de alguma forma ele o era. Se a menina mimada fosse listar qualidades e defeitos teria dificuldade tamanha para elencar os maus hábitos que antes de começar desistiria. Ela nem queria...não o desclassificaria sob hipótese alguma.
Contemos então que o tempo que se passou entre o segundo que o viu e o segundo que o amou foi um curto intervalo. Ao contarmos no tempo real já se passaram 1 ano, 9 meses e 6 dias.
Ela continua na dele e ele continua parte principal da epopéia grega.
Porém, convencida da sua evidente falta de chances ela sentou à mesa e desistiu de pensar.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Valéria Docampo

Nenhum comentário:

Postar um comentário