terça-feira, 28 de setembro de 2010

A METAMORFOSE


E a ferida que Gregor tinha no dorso parecia abrir-se de novo quando a mãe e a irmã, depois de meterem o pai na cama, deixavam os seus trabalhos no local e se sentavam, com a cara encostada uma à outra. A mãe costumava então dizer, apontando para o quarto de Gregor: “Fecha a porta, Grete”. E lá ficava ele novamente mergulhado na escuridão, enquanto na sala ao lado as mulheres misturavam as lágrimas ou, quem sabe, se deixavam ficar à mesa, de olhos enxutos, a contemplar o vazio.

Franz Kafka

Nenhum comentário:

Postar um comentário