segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Paulo Leminski


Nesse ínterim

Não diga nada
Neste momento quero só seus olhos,
sua boca
e nada mais.

Não se mova
Vamos viver intensamente
esses segundos de cumplicidade imensa,
sem pensar.

O silêncio só nosso,
o tempo só nosso,
enquando o mundo explode lá fora
devagar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário