segunda-feira, 5 de março de 2012

Só um desabafo


Eu não posso afirmar que não curto MMA e que acho a prática de uma violência absurda porque simplesmente NUNCA assisti nenhuma luta. É fato também que há defensores ferrenhos e admiradores incansáveis que tem vastos argumentos de defesa que não cabe a mim listar. Outra afirmativa notória é que somente agora o esporte tornou-se de primeira linha no quesito evidência midiática. Mas o que me abala mesmo e me causa indignação é a guerra das grandes redes nacionais por audiência, não pura nem simplesmente por ela , afinal estamos aqui a falar de com certeza uma dinheirama incontestável. Ontem na rivalidade Globo/Record tive a infelicidade de ver uma reportagem da segunda mostrando um antigo praticante do MMA que durante uma das lutas nada violentas apresentou fratura da quarta vértebra cervical e lesão medular associada tornando-se desde então tetraplégico, respirando com ajuda de aparelhos e que perdeu para a eternidade os movimentos dos membros inferiores. Algo trágico realmente e que induz nos telespectadores muitos questionamentos se não fosse a tentativa explícita de abater a concorrente. O fato me causou náuseas semelhantes às sentidas na hiperemese gravídica. Mostrar a infelicidade alheia e fazer uso dela em prol de guerra por pontos no IBOPE é algo baixo e vil, mas que infelizmente é cultuado em muitos meios de comunicação brasileiros . Na verdade o que a gente quer é educação, informação decente e atitude ética.
Texto: Wandréa Marcinoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário