quarta-feira, 8 de agosto de 2018

E atravessou a rua com seu passo tímido

Depois da viagem ao chegar ao consultório médico com duas horas de antecedência e aguardar  por  cinco horas, o coração foi na garganta
Pulsava como se não fosse dar tempo
Toda esperança guardada se foi
Olhar a cada cinco
minutos o relógio e perceber que a distância entre o momento e o avião era cada vez mais curta
Chamaram meu nome e daí não tinha mais certeza de nada
Do todo planejado o tiro saiu pela culatra
Comecei falando do começo
De dois anos atrás, mas acho que as palavras se atropelaram e chegaram no hoje correndo
A médica me olhava curiosa entre um bocejo e outro, como se pensasse mil coisas e sumisse dali
Começou a dar conselhos e divagar sobre suas conhecidas
Me fez uma pergunta repetidas vezes como se não houvesse atentado para a resposta
Estabeleceu um raciocínio e deixou clara a dúvida 
Me entregou papéis e me deixou sair numa despedida breve
Aguardei o taxi e saí pelas ruas engarrafadas de São Paulo
O taxista disse que daria tempo e deu
Fui cabisbaixa e em silêncio contando os passos para esse destino incerto e ainda longe
Destino  que não parece com hoje e por isso não me pertence
Vou pedir então ao céu que a chuva seja branda e que me molhe só se for para florescer

Wandréa Marcinoni