sábado, 7 de janeiro de 2017

Cristal

Outrora ela achava nas caixas de brinquedos seres descontentes repartidos.
Faltava cabeça, braços, pernas e sabe-se mais lá o que.
Faltava cuidado.
Crianças nos seus encantos de ir e vir deixavam marcas nas frágeis criaturas
Ela também se julga assim: frágil criatura.
Pode se partir em pedaços  se não houver delicadeza.
Delicadeza em palavra ou gesto.
É tipo cristal.
Despedaça.
Quebra
Agora ela não crê mais
Nem em palavra.
Nem em toque
Não crê mais em nada
Texto: Wandréa Marcinoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário