terça-feira, 25 de março de 2014

Sombras

"Quanto mais ando a procura de gente


mais me encontro sozinho no vago...

e eu nem sabia mais o montante que queria,

nem aonde eu extenso ia...

mas talvez o que sentia,

solidão.”

Guimarães Rosa

Houve um tempo em que as lembranças cabiam no pequeno espaço lá fora. Coisas amontoadas por sobre as outras, roupas amassadas, o sol, o dia e a noite, os olhares, sorrisos e dor. Tudo misturado, menos ela. Catava tudo e amontoava. Preenchia o vazio do peito com a crença de que sairia dali. Às vezes de noite fazia sol. Às vezes o zumbido a fazia acordar e ela tinha medo. Medo do sonho sem ser sonho. Medo da realidade e suas armadilhas. Medo de si e dos outros. medo dos olhares no escuro. Medo da noite, do  dia e de si. Medo, apenas ele.

Texto: Wandréa Marcinoni
Imegem: Nicoletta Ceccoli              

Nenhum comentário:

Postar um comentário