quarta-feira, 1 de maio de 2013

A noite

Entre temas repetidos eu vivo.
Não há nada que mude.
Há o eterno vagar.
Meu pensamento nunca se completa.
Simplesmente vou.
Tem um tempo que a vida me acenou.
Montado o palco foi me permitido atuar.
Logo eu que sempre preferi  os bastidores.
A vida.
O eterno caminhar.
O rumo.
A falta dele.
Hoje sou eu.
Mas será que sou?
Findado o dia, perdi.
Quando tento encontrar, já foi.
Ele ao meu lado fala que já foi.
Ele joga comigo.
E é um jogo que ainda não sei jogar.
É quarta feira.
É feriado.

Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Arquivo pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário