sábado, 9 de junho de 2012

Pra toda chave


Hoje de manhã soou o que eu não ousei dizer-te.
E por não dizer-te me desfiz em pó.
Guardei em uma caixa de madeira forrada com tecido de seda.
Entreguei-me a ti como presente e nada.
Não me vistes.
Não me achastes.
Nem eu.
E já vão meus poucos dias.
Os últimos e os primeiros.
Os meus dias ao teu lado.
Os meus poucos.
Meus poucos dias.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Pete Revonkorpi

2 comentários: