quarta-feira, 20 de junho de 2012

Das dificuldades do tempo


Talvez o tempo tenha roubado um tanto de esperanças.
Achava da guerra só o que se pode achar.
Sento à mesa e esqueço.
Quase que esqueço do passado.
Mudo de sonho e carrego potes pra colocar no fim do arco-íris.
Você aparece em ciclos.
Manda suas mensagens.
Depois some.
Você tem o perfeito hábito de ser você.
Atitudes milimetricamente planejadas.
Aguardo até hoje saber dos livros que te devolvi.
O branco da capa se mistura com o calor de uma tarde e revira tudo aqui dentro.
Tua palavra perdida.
Teus olhos de mar.
Tua perda por nada.
O teu nada.
O teu vazio.
Tua marca.
Tua marca que já teima em sair.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Rob Scotton

Nenhum comentário:

Postar um comentário