segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Palavras expostas em parede de concreto


É sério que chove...
É sério que sinto a tua falta...mesmo aqui do outro lado da terra vermelha...
É sério que você mora longe...mesmo estando aqui a todo segundo do pensamento...
É sério que não sinto nada por ti...embora o que falo soe como mentira...
É sério que falamos em saudade...mesmo sem saber qual o sentido dessa palavra ...
É sério que ficamos calados...mesmo com as palavras empilhadas em pensamentos...
É sério que foi um encontro impensado ...mesmo que a expressão fosse de anos de afastamento...
É certo que você me falou em adeus ou até logo...mas eu piamente acreditei no por si só definitivo
É certo que escrevo fragmentações...baseada em interlocutores e pensamentos avulsos...
Sistematicamente, sem substrato, sem alicerce, sem superficialidades...
Mais profunda que uma cova rasa...
Mais amante que potencialmente esposa...
Mais louca que a Maria portuguesa...
Mais repulsiva que pólos iguais de um pequeno imã...
Mais sensitiva...
Menos pragmática...
Fortemente decidida por um sentimento eterno que te guarda...
Porém efetivamente resignada em guardar-te para mim...
Não esquecer, posto que em aura, me cubro de ouro e me despeço em salvas da vã tentativa de não mais lembrar.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Brooke Shaden

Nenhum comentário:

Postar um comentário