segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Dona de si



Cândida revelou-se no dia da formatura. Ela, que sempre fora a mais contida entre as acadêmicas...ousou inovar. Havia um anseio de que fosse formal e regular como em todos os anos de faculdade...mais eis que ela estava indomável. Planejou os pormenores do seu ato final...manteve-se instável...com ligações covalentes...pareceu-se mais assemelhada ao césio 137...tamanha a destruição que causou na mesma noite...a verdade é que os servos comuns...os bem domados...os que aceitam...os que baixam a cabeça...escondem dentro de si furacões com potência destruidora compatível às bombas de Hiroshima e Nagasaki...e essa energia nuclear compactada em micro cápsulas...tende à implosão/explosão...e tudo que antes era certo...tornar-se-á errado e do avesso...tal qual uma profecia...tal qual uma insanidade...tal uma lucidez.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Lorie Arley

Nenhum comentário:

Postar um comentário