domingo, 5 de dezembro de 2010

Tudo que poderia ser


Fazendo uso de palavras alheias: Naquele encontro com data e hora marcadas...naquele local em que ambos escolheram após seu diálogo prévio... No mesmo local em que beberam um bom vinho. Pediram aos relógios que parassem as horas ...e o tempo correu deliciosamente lento...lento porque havia o desejo da continuidade...lento porque era assim que tinha que ser. Foi tudo quase perfeito...mas então houve o momento da despedida e ela perguntou se ele podia aguardar por alguns segundos...pois havia um presente que não foi entregue em virtude das dúvidas se devia ou não fazê-lo. Mas eis que ela decidiu por entregá-lo. Foi até o carro...e em suas mãos havia uma caixa. Pediu que não o abrisse até chegar em sua casa. Ele contestou e afirmou que sucumbiria ao desejo de abrí-la...ela pediu que não...ele aceitou. Ao chegar no prédio...ainda no elevador...ao abrir a caixa...encontrou uma rolha de vinho...do vinho que haviam tomado naquela noite quase perfeita. Ele estava intrigado...mas não tardou a entender...no interior da caixa havia um breve recado: poderíamos aqui guardar as lembranças dos vinhos tomados...as passagens das nossas viagens...ingressos...momentos... de uma vida a dois...ou não...
Wandréa Marcinoni

Nenhum comentário:

Postar um comentário