segunda-feira, 25 de julho de 2011

O mesmo que uma deusa grega


No empório...todos os olhares se voltaram pra ela...e como se a memória não fosse suficiente pra guardar o deslumbramento...e como se os olhos não permitissem compreender a diferença da beleza...múltiplos cliques se fizeram...pois o registro assim parece eterno. Depois ao olhar a foto borrada por luzes, gestos, movimentos e emoções...parece que ainda assim a memória será a melhor saída.
Texto: Wandréa Marcinoni( inspirado em contos da batata da onda)
Imagem: Ai Shinohara

3 comentários:

  1. Não quis aqui postar o tocar nas pernas de um ser etéreo que jazia no sofá...seria surreal demais.

    ResponderExcluir
  2. Você faz tudo parecer ainda mais bonito!!!
    Só vc mesmo!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu falei que escreveria a respeito do fato...espero que você tenha gostado, amiga.

    ResponderExcluir