segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Retalhos e amiantos


Se pôs a costurar na velha máquina.
Vela acesa.
Escuro na alma.
A alma.
Durante muito tempo família.
Hoje com mãos doloridas.
Hoje de fala mansa e andar desapegado.
Hoje o reflexo do passado.
Não conta mais histórias, mas continua a acariciar os cabelos dos seus quatro filhos.
Ela agora.
Tentando postar mensagens. Replica. Contenta. Exige e esquece.
A vida é dela.
Dela são os desejos.
Ela que sentada um dia conosco teve a alma quieta.
Não é do seu feitio.
Ela não vai.
Nós é que a guardamos.
Na redoma.
A redoma.
A redoma.
O elo.
É ela.
Texto: Wandréa Marcinoni
Imagem: Jeremy Geddes

Nenhum comentário:

Postar um comentário