terça-feira, 31 de agosto de 2010

Facções




Quero ser o riso e o dente
quero ser o dente e a faca
quero ser a faca e o corte
em um só beijo vermelho

Eu sou a raiva e a vacina
procura de pecado e conselho
espaço entre a dor e o consolo
a briga entre a luz e o espelho

Fiz meu berço na viração
eu só descanso na tempestade
só adormeço no furacão.
Tom Zé
Foto:Jean Saudek

sábado, 28 de agosto de 2010

The LurKer


Jean Valjean é o prisioneiro número 24601. Advindo da obra de Victor Hugo...exposto por outras vertentes. Teses admiráveis...inteligência...escrita perfeita...lucidez. Só resta para mim a contemplação.

Ouvindo agora


Oito horas de vôo num concorde
Cinco dias num barco mar adentro
Sete noites dormindo ao relento
Sete ciganas lendo a minha sorte
Quatro dias, em pé, no trem
Da morte
Vinte léguas montado num jumento
Sete mil flores no meu pensamento
E eu trilhando os últimos espaços
Pra ficar no conforto dos teus braços
Qualquer coisa no mundo eu enfrento

Valentia de pai ou de irmão
Concorrência com o astro
Do momento
Temporal, tempestade, chuva
E vento
Holocausto, hecatombe e tufão
Desemprego, palestra e sermão
Tititi, coqueluche, casamento
Pé de ponte, mansão, apartamento
Paparazzi, sucessos e fracassos
Pra ficar no conforto dos teus braços
Qualquer coisa no mundo eu enfrento

Ladroíce, mutreta, malandragem
Álcool, droga, barato, passamento
Amnésia, larica, esquecimento
Roubalheira e má politicagem
Cabaré, palacete, sacanagem
Fome, greve, motim,
Acampamento
Confusão, batalhão, fuzilamento
Reclusão, solidão, sonho
Aos pedaços
Pra ficar no conforto dos teus braços
Qualquer coisa no mundo eu enfrento
João Linhares

Do entendimento

Algo de mim mesma com algumas conotações

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Se conselho fosse bom você vendia

Tá percebendo


Se você passa o dia inteiro olhando pela janela e se o sol está brilhando lá fora...você é dos meus...

Da dúvida


Ou se tem chuva ou não se tem sol,
ou se tem sol ou não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
Quem sobe nos ares não fica no chão,
Quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!
Ou guardo dinheiro e não compro doce,
ou compro doce e não guardo dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!
Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.
Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.
Cecília Meirelles

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Ouvindo agora


"Wish You Were Here"

So, so you think you can tell Heaven from Hell,
blue skies from pain.
Can you tell a green field from a cold steel rail?
A smile from a veil?
Do you think you can tell?
And did they get you to trade your heroes for ghosts?
Hot ashes for trees?
Hot air for a cool breeze?
Cold comfort for change?
And did you exchange a walk on part in the war for a lead role in a cage?
How I wish, how I wish you were here.
We're just two lost souls swimming in a fish bowl, year after year,
Running over the same old ground.
What have we found? The same old fears.
Wish you were here.
Pink Floyd

Veja aí

Do criador


Charles Schulz foi o criador dos personagens da série Peanuts. Cartunista americano,nasceu em Mineápolis, nos Estados Unidos. Era um adolescente tímido e solitário, talvez por ser o mais jovem de sua classe na Central Hight School. Muito das tiras de Snoopy são uma espécie de autobiografia de seu criador.

A personagem Lucy van Pelt é um exemplo. Sua personalidade mandona, impaciente e sarcástica foi inspirada em Joyce, primeira mulher de Schulz. Em Peanuts, Lucy importunava Charlie Brown e adorava tirar do lugar a bola de futebol no momento em que o garoto iria chutar. Quando Joyce pediu que o marido procurasse tratamento psicológico, Schulz a ironizou por meio da tirinha, onde Lucy monta um quiosque psiquiátrico de plantão.

Houve mesmo uma inatingível garota ruiva. Seu nome era Donna Mae Johnson, ele a pediu em casamento em julho de 1950, e esta recusou. Ele amargou a rejeição por toda sua vida.

Patty Pimentinha foi inspirada em Patricia Swanson, prima de Schulz, ela se comportava como um "moleque", brincava de bola e não gostava de receber ordens.

Charlie Brown é o próprio Shulz na infância, um menino cujo pai falava alemão em casa e tinha uma barbearia (assim como o pai de Charlie Brown). E que por ter entrado na escola um ano antes que o correto, sempre foi o menor da classe, o mais franzino, sofria rejeição dos colegas de classe e ia mal nos esportes.
Fonte: Wikipédia. Editado por mim.

Há razões que a própria razão desconhece

Let's curtir

Tempo... tempo, mano velho...


Se fosse o contrário...seria o ócio criativo?

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Noite passada


Ontem vi uma fogueira do lado de fora da casa. Ardia enquanto o vento soprava as chamas. Aquecia a noite. Pensava naquele dia do ano anterior. A lembrança estava meio apagada, como folha de papel, tinta de caneta e água. Mas eu acho que de relance vi você...e toda a imagem se desfez...
Wandréa Marcinoni

Garotas

Da consciência


O SONHO DE UM HOMEM RIDÍCULO

Por exemplo, ocorreu-me de repente a estranha consideração de que, se eu vivesse na lua, ou em Marte, e lá cometesse o ato mais canalha e mais desonesto que se possa imaginar, e lá fosse achincalhado e desonrado como só se pode sentir e imaginar às vezes dormindo, num pesadelo, e se, vindo parar depois na terra, eu continuasse a ter consciência do que cometi no outro planeta e, além disso, soubesse que nunca mais, de jeito nenhum, voltaria para lá, então, olhando a lua da terra – tudo me seria indiferente ou não?
Dostoiévski

A boa do dia


Stop and smell the roses.

domingo, 22 de agosto de 2010

sábado, 21 de agosto de 2010

Quem é ela?




Ela que descobriu o mundo
E sabe vê-lo do ângulo mais bonito
Canta e melhora a vida, descobre sensações diferentes
Sente e vive intensamente

Aprende e continua aprendiz
Ensina muito e reboca os maiores amigos
Faz dança, cozinha, se balança na rede
E adormece em frente à bela vista

Despreocupa-se e pensa no essencial
Dorme e acorda

Conhece a Índia e o Japão e a dança haitiana
Fala inglês e canta em inglês
Escreve diários, pinta lâmpadas, troca pneus
E lava os cabelos com shampoos diferentes

Faz amor e anda de bicicleta dentro de casa
E corre quando quer
Cozinha tudo, costura, já fez boneco de pano
E brinco para a orelha, bolsa de couro, namora e é amiga

Tem computador e rede, rede para dois
Gosta de eletrodomésticos, toca piano e violão
Procura o amor e quer ser mãe, tem lençóis e tem irmãs
Vai ao teatro, mas prefere cinema

Sabe espantar o tédio
Cortar cabelo e nadar no mar
Tédio não passa nem por perto, é infinita, sensível, linda
Estou com saudades e penso tanto em você...
(Gerânio - Marisa Monte)

Da timidez


O modo que me vêem...não é o mesmo que me percebo. A capa da timidez dá a falsa e ilusória impressão...Sou mais do que pensam...Bem mais que imaginam...essa é a certeza...a minha certeza.
Wandréa Marcinoni

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Do alimento da minha alma


Dentro de mim existe um lado bom e um ruim. Predomina aquele que eu alimento mais.
DA

Desejos


O que é que houve meu amor,
Você cortou os seus cabelos
Foi a tesoura do desejo
Desejo mesmo de mudar

Alceu Valença


Será que as mudanças podem vir de um ato estético...indolor...momentâneo...?

Tem uma pessoa morando no meu desejo

Quando enfim


TABACARIA

Fiz de mim o que não soube
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Fernando Pessoa

Mais bonita que a revolução cubana


Cantada

Você é mais bonita que uma bola prateada
de papel de cigarro
Você é mais bonita que uma poça dágua
límpida
num lugar escondido
Você é mais bonita que uma zebra
que um filhote de onça
que um Boeing 707 em pleno ar
Você é mais bonita que um jardim florido
em frente ao mar em Ipanema
Você é mais bonita que uma refinaria da Petrobrás
de noite
mais bonita que Ursula Andress
que o Palácio da Alvorada
mais bonita que a alvorada
que o mar azul-safira
da República Dominicana

Olha,
você é tão bonita quanto o Rio de Janeiro
em maio
e quase tão bonita
quanto a Revolução Cubana
Ferreira Gullar

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Os gêmeos: Otávio e Gustavo Pandolfo





Tem gente que nasce com o dom do encantamento

Ouvindo agora


Steal my heart... and hold my tongue
I feel my time... my time has come
Let me in... unlock the door
I never felt this way before

And the wheels just keep on turning
The drummer begins to drum
I don't know which way I'm going
I don't know which way I've come

Hold my head... inside your hands
I need someone... who understands
I need someone... someone who hears
For you I've waited all these years

For you I'd wait... 'Til Kingdom Come
Until my day... my day is done
and say you'll come... and set me free
just say you'll wait... you'll wait for me

In your tears... and in your blood
In your fire... and in your flood
I hear you laugh... I heard you sing
I wouldn't change a single thing

And the wheels just keep on turning
The drummers begin to drum
I don't know which way I'm going
I don't know what I've become

For you I'd wait... 'Til kingdom come
Until my days... my days are done
Say you'll come... and set me free
Just say you'll wait... you'll wait for me

Just say you'll wait... you'll wait for me
'Til Kingdom Come
Coldplay

Imagens que rolam na web


Evolução da cabeleira dos Beatles

Se eu quero colorir...deixa...







Para destoar do cinza de algumas paisagens, pensei em casas coloridas.
Para dormir e sonhar talvez lençois de seda com aquele branco tipo paz.
Para fazer da vida algo tal qual uma explosão...o amarelo intenso como cor de sol.
Para os dias de serenidade azul meio mar aberto.
Para amar de forma desmedida um vermelho cor de sangue.
Hoje...me vejo percebendo a vida em cores e apagando o preto e branco do passado.
Wandréa Marcinoni

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Adoção



Não sei se te contei
mas há algum tempo sou minha
me adquiri num mercado
onde o escambo era a posse pela liberdade
me obtive numas dessas voltas da morte
me acolhi num desses retornos do inferno.
Dei banho, abrigo, roupas, amor, enfim.
Adotei o meu mim
como quem se demarca e crava em si o mastro da terra à vista
a cheiro, a tato, a trato, a paladar e ouvido.
Não sei se te contei: me recebi à porta da minha casa
abracei, mandei sentar.
Abracei eu mesma, destranquei a porta
que é preu sempre poder voltar.
(Elisa Lucinda)

Like I am


Tenho bom humor até mesmo às três da manhã.
Tenho sentimentos ridicularizados sometimes.
Gosto de músicas românticas.
Não me enquadro na mais popular.
Gosto de usar trocadilhos e os acho divertidos.
Sou fugidia das coisas banais.
Sou amiga dos momentos de simplicidade.
Amante das noites em casa.
Sensível com o sofrimento alheio.
Insegura com os dias de hoje.
Feliz pela minha liberdade.
Ansiosa para que o melhor aconteça.
Turbilhão...emoção...nada razão e muita sensibilidade.
Wandréa Marcinoni

Meia lua inteira


A laranja cortada ao meio,

Úmida de amor, anseia pela outra...
...
Mário Quintana

Ele é poesia plena



Para apalpar as intimidades do mundo é preciso saber:
a) Que o esplendor da manhã não se abre com faca
b) O modo como as violetas preparam o dia para morrer
c) Por que é que as borboletas de tarjas vermelhas têm devoção por túmulos
d) Se o homem que toca de tarde sua existência num fagote, tem salvação
e) Que um rio que flui entre 2 jacintos carrega mais ternura que um rio que flui entre 2 lagartos
f) Como pegar na voz de um peixe
g) Qual o lado da noite que umedece primeiro.
etc
etc
etc
Desaprender 8 horas por dia ensina os princípios.
Manoel de Barros

Controversas paixões


Urbana Legio Omnia Vincit

Leituras aleatórias


Na China, você pode comprar gafanhotos cantadores que ficam presos em pequenas"jaulas" . Antigamente, eles eram ofertados às moças solteiras como um amuleto que conferia sorte no amor...como aqui, não os encontramos como forma de presente...continua valendo o desejo...

Wandréa Marcinoni
Post baseado na leitura do ótimo blog Lu na China

Ouvindo agora: Diane Birch


Fire escape

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Constatação


Quando estou triste fico com as palavras guardadas...
Wandréa Marcinoni

Closer


Queria eu o poder dos sábios e o controle das emoções...seria útil e prático...se fosse assim meu jeito...mas não é assim que me percebo...por que de todas as certezas apenas sei que os meus dias foram feitos para tua presença como tua boca foi feita para os meus beijos. Então sigo teus passos e deles faço os meus. E o nosso encontro de tempos em tempos me faz crer na eternidade...embora apenas na eternidade do meu amor.
Wandréa Marcinoni

terça-feira, 3 de agosto de 2010

São Luís do Maranhão ou...Saudosismo de mim mesma




O Vinícius disse que a alma dele era um círio que ardia numa catedral em ruínas. Eu digo que a minha alma é um manacá perfumado num jardim abandonado. Lembrei-me de um texto de Guimarães Rosa sobre os jardins abandonados, em que ele se refere ao "jasmim do Imperador - de todos o mais querido". E me lembrei também de um hai-kai de Bashô: "Na velha casa que abandonei as cerejeiras florescem..."

Vez por outra, diante das casas antigas e seus jardins, eu me reencontro de novo comigo mesmo como fui, menino. Foi o que me aconteceu quando visitei, faz poucos dias, São Luís do Maranhão. São Luís: para mim, até aquele momento, nada mais que um nome vazio, uma bolinha no mapa. O nome não me fazia pensar em nada. Aí eu cheguei lá, comecei a perambular pelas ruas do seu centro antigo, e uma alegria começou a tomar conta de mim. O menino que mora em mim, aquele que brincava no sobrado do meu avô, acordou do seu sono. A poesia se virou os meus olhos. Começaram a brincar. Olhavam para as casas e não viam as casas. Viam o sobrado do meu avô. Senti-me voltando para casa. Eliot disse que "ao final de nossas longas explorações chegaremos finalmente ao lugar de onde partimos e o conheceremos então pela primeira vez." Estaria eu voltando? Retornando ao lugar de onde parti? Será que eu, adulto, sou um estranho, exilado, no mundo da modernidade e das casas novas? O sobrado do meu avô, as casas antigas de São Luís - tão distantes no espaço e no tempo! E, no entanto, habitantes de um mesmo tempo, de um mesmo mundo. As casas antigas de São Luís e o sobrado antigo do meu avô não são casas desse mundo, são casas de um mundo que não existe mais, que existe só na saudade onde moram os sonhos. Mas, como a alma é feita de saudade, esse mundo que não existe do lado de fora continua a existir do lado de dentro. E lá estava eu, menino, andando pelas ruas antigas. Dantes tristes de abandono e pobreza agora estavam lá, as casas, diante de mim, alegrinhas e coloridas, exibindo os seus encantos.

(...)

As velhas casas de São Luís me deram olhos de poeta. Quem sabe chegará um dia em que os administradores pedirão conselho aos poetas. Parece que isso aconteceu lá em São Luís do Maranhão...

Rubem Alves